domingo, 30 de junho de 2013

ALGARAVIADA 13 .


MÁSCARAS IBÉRICAS .


CIRCUITO INTEGRADO .


A BONECA QUE RI .


O MUNDO ÁS AVESSAS .


O MOSTEIRO .


A MANIF DOS TACHOS .


A TROVOADA .


CHAPÉUS HÁ MUITOS ...

O regresso do Paulinho das Feiras .
.

sábado, 29 de junho de 2013

GEOMETRIA .


ESBOÇO, CHILIDA .


JÓIA 6 .


O DEFICE SALTITANTE .

Com tanto economista afamado,
Tanto professor aprovado.
tanto investigador esforçado,
tanto doutor abençoado,
e com o povo desconfiado,
afinal quanto marca o defice ?

7, diz o trolha,
12, diz a peixeira,
3, diz o engenheiro,  
22, diz a mulher da vida .

Organizam-se festivais,
colóquios, debates,
jogos florais
e outras coisas, que tais,
7, 9, 15, vinte sete,
quem dá mais .

E o ministro aparvalhado,
o chefe mudo e calado,
o primeiro meio chalado,
não arriscam qualquer dado .
Fazem um ar espantado,
tratam a gente como gado .
.

A GEOGRAFIA DA FOME .

Homenagem a Josué de Castro .
.

IL NUOVO CONDOTTIERI .


O PINTO .


O INCENTIVO À EXPORTAÇÃO .


A ARMA SECRETA .


sexta-feira, 28 de junho de 2013

A TOUPEIRA DA MEMÓRIA .

Diário de Notícias
29 Junho 2013
.

GREVE GERAL 2 .


GREVE GERAL .


ORIGAMI 41 - UM CONTINENTE EM RETALHOS .


A VOZ DA EXPERIÊNCIA .


COIMBRA É UMA CANÇÃO DE AMOR .


AS SARDINHAS PORTUGUESAS .


MICHELLE DE BRITO .


GASPAR 3 .


GASPAR 2 .


GASPAR 1 .


quinta-feira, 27 de junho de 2013

SONHO DE UMA MANHÃ DE VERÃO .


Estavam lá todos .
Descontraídos .
Traje desportivo .
Até parecia que tinham sido sido convidados para um jogo de bridge .
É de salientar que era o 2º aniversário do Governo .

Eis que um grupo numeroso começa a entrar para o Mosteiro .
Muitos chapéus, fatos a cheirar a naftalina,
muita perua, muito franganote, uma grande restolhada .
Chegam os padrinhos, o prior,
e finalmente os noivos .
Abençoado matrimónio .

A cerimónia decorreu como previsto .
Houve discursos, cantorias, muitas lágrimas .
Muitos beijos, muitos abraços .
Um dia de felicidade .
Muito sol, muito arroz pelo ar .

O prior e os acólitos sairam,
e trancaram a porta por fora,
com meia dúzia de voltas .

Os membros do Governo nunca mais foram vistos .
Consta que ainda estão trancados no Mosteiro .

Paz à sua alma ...
.

SIMETRIA .


PAISAGEM 20 .


OS ALPINISTAS .

Publicidade .
.

CAMÕES, O MONSTRO DAS BOLACHAS .


quarta-feira, 26 de junho de 2013

A MONTANHA DO PÃO .


CARTA DO DESASSOSSEGO .

MÁRIO PEDRO :

Ando há muito tempo para te escrever 

Adio sempre .
Como o Bocage, à procura da última moda para fazer um fato
Aguardo sempre a ocasião mais propícia,
mas o que acontece é que a realidade muda tão depressa e tão
dramaticamente, tão trágica e absurdamente,
que não queria estar a aborrecer-te,
lá no assento etéreo onde subiste .´

Queria que me ajudasses a acudir às calamidades que pairam

sobre o nosso País,
e também em todo o planeta .

Não quero falar do nosso triste e envergonhado Benfica,

que perdeu três torneios, nos três últimos jogos da temporada
futebolística .

Menos ainda do papel de embrulho de A. S . Seguro,

tu que tudo fizeste para o ajudar a subir a montanha do poder,
e agora aprisionado na teia da Troika, chamada de urgência pelo
malfadado Cavaco Silva, o nosso bem amado inimigo de estimação .

Não vou abordar as revoltas que incendiaram o mundo, desde os Paí-

ses Árabes, Turquia, Brasil, Próximo e Médio Oriente, até na Europa,
onde se salienta a Grécia, país mártir abocanhado pelos esbirros da
Banca Alemã e do Capitalismo selvagem .

Também não quero falar do desempenho mais que vergonhoso

dos principais actores, directos e indirectos, da nossa estafada go-
vernação,  do governo europeu e mundial,
com o mundo a caminho da bancarrota global, onde se assiste ao
festim globalizado, em que os grandes tubarões, agarram e mastigam
inexoravelmente, tudo o que mexe .

Deixo para trás as traições preparadas por Cavaco, seus aliados

objectivos e subjectivos, que conduziram à troca do governo Sócrates,
por uma cáfila de idiotas e mentecaptos, que estão  a promover a des-
truição acelerada  da economia e da vida nacionais .

Já te estou a ver com o teu ar trocista,

a pensar como o teu pai é um exagerado .
Que nada ...
Eu até estou a doirar um pouco a pílula .
Acredita em mim .

Em breve voltarei ao assunto,

para que possas aferir da veracidade da minha conversa,
e poderes deslindar a trapalhada em que nos envolveram .
Estamos bem tramados .

Um grande beijinho

dos pais
muito amigos .
.

 .


IRONIA .

Correio da Manhã
Domingo 
.

RECORTE DE PAPEL .


O MIGUEL .


MIMETISMO .


O VAPORRETO LUSITANO .


terça-feira, 25 de junho de 2013

PAISAGEM 22 .


IRINA OFF SIDE ...


TENS QUE REZAR, CARCAMANO ...


ORIGAMI 39 .


DIA DO CAMÕES .


HERBERTO HELDER, Poeta .


REMANDO CONTRA A MARÉ .


O LADO NEGRO DA LUA GIGANTE .


CACOFONIA CANORA .


segunda-feira, 24 de junho de 2013

FORMIGUEIRO .

Concedo que é difícil alterar os parâmetros sociais,
ou as leis da economia e da finança daqueles que detêm 
o poder, de uma maneira brusca, revolucionária .
Em regra avança-se por saltos qualitativos e alterações
quantitativas .

Sobretudo quando o essencial tem vindo a ser mantido
há mais de dois séculos, mormente os cataclismos de toda
a natureza que têm assolado o nosso planeta, de que refe-
riremos o nazismo, a escravatura, a bomba atómica e as
sucessivas revoluções tecnológicas .

Todavia o modelo geral da organização do mundo tem-se
alicerçado na existência de classes sociais que se comba-
tem sem tréguas, e  no nascimento, evolução e agonia dos
impérios, que se sucedem uns aos outros .

O aparecimento do socialismo/comunismo poderia ter intro-
duzido um novo paradigma de sociedade, mas o modelo não
conseguiu vingar .

E agora ?

Que mundo iremos herdar ?

A transformação é meteórica e globalizada .
Os mecanismos de defesa contra a mudança, qual vírus de
que não conhecemos a cura, nem a vacina, mas sòmente 
alguns cuidados paliativos, esbarra em meia dúzia de pre-
conceitos difíceis de ultrapassar, mas poucos ousam ques- 
tionar sèriamente, o que o futuro nos reserva 

E, eis-nos de novo, 
de regresso ao modelo do formigueiro , altamente organ-
izado, mas incapaz de aguentar um sismo à escala dos
simpáticos bichinhos .
.



DESESPERO .