domingo, 31 de julho de 2011

O DESPORTO REI - 1 .


.

CHE(R) .


.

PRESENÇA - 1 .


.

ARRANJO DE FOLHAS .


.

MAIS BICHARADA .


.

A BICHARADA .


.

AGARRAR O TEMPO - 13 -OLIVEIRA MILENAR .


Árvore com cerca de 3000 anos,
Santa Iria da AZÓIA.
.

O CROMO DO MÊS DE JULHO .


.

PASTORAL - 13 .


.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

MACAU .


.

NATUREZA MORTA .


.

A ONDA PERFEITA .


.

UM PAÍS DE MARINHEIROS .


.

GRANADAS DE LÁGRIMAS .


.

PASTORAL - 12 .


.

PASTORAL - 11 .


.

PASTORAL - 10 .


.

ROSETA .


.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sem mais comentários...

... a não ser que já não tinha em grande conta a Sr. Dra Teresa Caeiro.


.

BORBOLETA .


.

OS TERRORISTAS ESTÃO ENTRE NÓS .

Desde sempre que houve terroristas, massacres, assassinos,
crimes contra a Humanidade, barbáries.
Os mais célebres foram os assaxins, da Palestina, e que dei-
xaram o nome para a posteridade.

O que variava era o nome, o objecto dos crimes cometidos, a
violência e a extensão das atrocidades.
Que dizer dos crimes cometidos em nome de todas as religiões,
em nome de todas as ideologias, de todas as raças, de todos
os povos.

Recentemente o terrorismo é conotado com a côr da pele, com
o traje utilizado, e a com região geográfica em que, mais nor-
malmente, é levado a cabo.
É essa a regra assumida, porque existem no nosso tipo de socie-
dade, profundos preconceitos, que nos não deixam ver claro, no
tipo de sociedade asséptica em que vivemos, a realidade envol-
vente.

Pensemos no que se passou na Guerra Civil de Espanha, no 3º Reich,
no Vietname, e por aí fora.
E em muitos outros casos mais recentes.
Lembremos o caso Mc Veigh, nos USA, o assassínio de Oloff Palme,
na Suécia, o massacre de Aldo Moro.

A minha estupefacção vem do facto de um loiro, de olhos azúis,
bem trajado, bem estabelecido na vida, se passear tranquilamente,
durante muitos anos, possuir armas modernas, poderosas e efici-
entes, comprar toneladas de explosivos, dispô-los em vários sdi-
fícios governamentais, detonar as bombas, e viajar num ferry-
boat, fria e calmamente, assassinando centenas de jovens militan-
tes do Partido Trabalhista.

Como foi possível esta tragédia anunciada?
Quais os verdadeiros responsáveis por este massacre?
Como é que se impede uma mortandade desta natureza?
.

CORTAGEM .


.

OS MEUS INIMIGOS .

Gosto mesmo muito dos meus inimigos.
Não tenho de os ver, nem falar com eles .
Não tenho que os aturar, nem eles de me aturarem
a mim .
Não me ofendem, não me tratam mal .
Não me chateiam.
Não me incomodam com conversas idiotas.
Não me pregam sermões .
E já nem sequer me ofendem .

Claro que têm os seus inconvenientes .
Não querem saber de mim para nada.
Não me ligam a ponta de um chavelho .
Não têm que aturar as minhas diarreias mentais,
nem os meus arrotos existenciais.

Mas isso, é o tratamento que tenho
da parte dos meus amigos do peito,
e não é por isso
que venho agora
queixar-me deles.

Tudo está bem, se acaba bem...
.

A LAVOURA .


.

O INSECTO .


.

DESENCONTROS .


.

Instalação (Electrica) .


.

PASTORAL - 9 .

terça-feira, 26 de julho de 2011

AFINAL, A TERRA É REDONDA .


.

PASTORAL - 8 .


.

A NOVA ATLÂNTIDA .


.

EQUILIBRISMO .


.

SANTA ÂNGELA

O SOL E O VENTO .


.

MARESIAS - 23 .


.

TARALHOCO .


.

AO LUAR .


.

O TUBÉRCULO .


.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

PASTORAL - 7 .


.

AMY WINEHOUSE .


A Maldição do Número 27 .
.

TELAS - 12 - LUCIAN FREUD(1922-2011) .


.

NORUEGA, 2011 .


A Matança dos Inocentes .
.

DESFIANDO A EUROPA .


Desenho de André Carrilho .
.

O PÚBLICO MERECIA MAIS .


A taberna jornalistica que dá pelo nome O Público,
já nos habituou a um tipo de jornalismo abecto e
parolo, vesgo e parcial.
Bem sei que havia notícias importantes a publicar,
mas trazer à primeira página aquele pedacinho de
texto, e publicar uma local, na página 22, é um au-
têntico exercício de malabarismo...
São critérios jornalísticos...
Jornalismo de referência ...
.

domingo, 24 de julho de 2011

PREITO DE HOMENAGEM .

Em primeiro lugar quero dar os parabéns ao novel
Secretário Geral do PS, António José Seguro.

Quero em seguida endossar um grande abraço a to-
dos os militantes, que se empenharam em mostrar a
maturidade do Partido, durante a excelente campan-
ha das primárias .

Quero por fim, recordar todos aqueles que deram o
seu melhor pelo Socialismo em Portugal, e que con-
tinuam entre nós, de alma e pensamento, recordando
o exemplo que nos transmitiram .

Mário Pedro,
a vitória que estamos a viver,
é também, a tua vitória,
um sonho que, fora do teu tempo,
se tornou realidade .
.

SEGURO, UMA VITÓRIA EXPRESSIVA .


António José Seguro - 68%.
Francisco Assis - 32%.
.